logo1b

Matéria do Cabo Wilson Moraes, Presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PMESP

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais Militares. 
Todas às reuniões anunciadas pelo Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, jamais contaram com a presença das Entidades de Classe. Na verdade as reuniões ocorreram somente com a cúpula do Governo do Estado; porém, os maiores representantes da Família Policial Militar sequer foram convidados a participar. 
A Associação dos Cabos e Soldados quer deixar bem claro que não pactua com as decisões equivocadas do Governo do Estado, e que sempre pautou pelos princípios constitucionais da não incitação de greves ou quaisquer tipos de represálias que possam causar grave comoção social dentro da nossa caserna. Assim, devemos mostrar que os nossos princípios estão muito acima de nossos líderes e, temos uma vida centrina que neste ano completou 55 anos de existência e não apenas 04 anos de exercício político. 
A nossa formação dentro da Polícia Militar é um compromisso em abraçar a sociedade Paulista e mostrar que somos ordeiros e labutamos em defesa do cidadão e da vida; “inclusive com o sacrifício da própria vida”, independentemente de qualquer direcionamento político. 
O Governo do Estado se reveste de uma capa “moral e ética” em um flagrante para dar guarida ao seu partido político, que sofreu uma das maiores derrotas no cenário político brasileiro; e, assim, omitindo dentro deste período eleitoral, os ataques que ocorreriam contra a Tropa da Polícia Militar. Entretanto, o empenho do Governo foi o de não prejudicar a campanha tucana, mesmo em detrimento da vida “onde já se constatou dezenas de Policiais Militares assassinados e feridos pelo crime organizado”; além de retirar verbas alimentares da Família Policial Militar.
O Procurador Geral do Estado, com o conhecimento do governador Geraldo Alckmin, se utilizaram de remédios jurídicos na tentativa de obter êxito com o fim de postergar direito líquido e certo dos Policiais Militares por intermédio de informações de má-fé inserida nos instrumentos jurídicos utilizados pelo Estado.
A Sociedade Paulista e os nossos associados podem contar com a nossa luta contínua; estamos organizados juridicamente e acreditamos na reversão do quadro atual. Não nos debruçamos em cima de teses jurídicas, mas, sim, da verdade dos fatos aos quais levamos à Suprema Corte; ou seja, o cumprimento que já vem desde novembro de 2010, e que custa ao Governo do Estado aproximadamente R$ 25.000.000,00 por mês e que não são devidos por força de tutela antecipada; e, sim, por acórdão da 2ª Instância. Finalizando, agradeço a sua atenção e o apoio a nossa Entidade de Classe, e que por ora é só o que temos a informá-los.

"A insensibilidade dos fortes provocará a revolta dos fracos"

Wilson Morais
Presidente
AddThis Social Bookmark Button

Comentarios (13)

Agradecimento.
0
Bom dia Sr. Coronel Ricardo Jacob.
Agradeço a publicação desta matéria neste espaço do seu blog, que é de total interesse aos policiais militares: ativos/inativos
Espero que a ACSPMESP atraves de seu presidente CABO WILSON DE MORAIS reverta o mais rápido possível esse deslise do governo, em relação a redução de nossos salários, e que seja pago todo os atrazados com juros e correção monetária, bem como cabe tambem paralelamente AÇÃO DE DANO MORAL, contra o estado.
Um abraço.
stive , novembro 23, 2012
E os OFICIAIS.
0
Caro Cel.
E os oficiais ou seu clube, não vao agir, só aguardarão os resultados para receber.
Veja a materia que saiu ontem sobre a denuncia do Sr Cel Cmt Geral.Coronéis fizeram a denuncia.Não Foi praça.
Vamos lutar juntos.
Mike , novembro 23, 2012
Não entendi...o comentário acima do Mike
0
Bom dia.
Não entendi o comentário acima do Mike....
Qual matéria?
Qual denuncia?
Qual assunto?
Oque, onde e data que foi publicada essa denuncia?
?????........
Sr. Mike quando o sr. postar algum comentário por favor seja direto e reto. Não da para a gente adivinhar, oque o sr. quer dizer.

Um abraço.
stive , novembro 24, 2012
Ler flit paralisante.
0
Não se aborreça.
Só pensei que os Sr estaria bem informado.
Coronéis disseram que o Cmt Geral atual só fala em jornalismo e é muito dificil acessá-lo. Mas não acredito que seja tudo isso.
Mas na carta da ACSPMESP vê se que não reuniou as associações para debater salario.
mike , novembro 24, 2012
Ai vai sr Stive.
0
Sem aborrecimentos.Sempre confiei e defendo a instituição.

Delegados e coronéis ouvidos pelo Estado disseram ontem que os principais desafios para o novo secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, são recuperar o controle da Polícia Militar para o combate da onda de assassinatos nos bairros da periferia da Grande São Paulo e aumentar o índice de esclarecimento de crimes pela Polícia Civil, como instrumento de combate ao crime organizado.

“Essa crise é um problema que envolve principalmente a PM”, disse ontem um delegado de classe especial que dirige uma seccional na Grande São Paulo.

Os coronéis foram muito críticos à gestão do atual comandante-geral da PM, Roberval Ferreira França, por causa de seu estilo de comando, considerado imperial por muitos deles. “Se ele conversar cinco minutos com você, vai tentar mostrar que sabe mais de jornalismo do que você”, disse um coronel.

Outro oficial afirmou que França tem um perfil técnico, que seria muito mais útil à corporação em um cargo ligado à área de tecnologia. “Foi por suas qualidades técnicas que eu o promovi”, disse o ex-comandante-geral Álvaro Camilo.

Cotados. A formação da equipe de Grella também será fundamental para definir o futuro da segurança em São Paulo. O procurador de Justiça Antônio Carlos da Ponte deve fazer parte do grupo. Ele vai ocupar o cargo de secretário adjunto.

Ponte foi promotor no 1.º Tribunal do Júri no julgamento do massacre da cela-forte do 42.º Distrito Policial – 18 presos foram mortos por asfixia após 50 deles serem trancados em uma cela-forte no fim de uma rebelião. Ponte conseguiu a condenação a 536 anos de prisão em 1993, a maior até então aplicada pela Justiça paulista.

O nome do procurador ainda não foi anunciado oficialmente por Grella, mas o procurador-geral, Márcio Elias Rosa, já concordou com sua liberação da instituição – Ponte é um de seus assessores diretos. Falta ainda definir quem será o chefe de gabinete de Grella e quem deve comandar as Polícias Civil e Militar.

O nome mais cotado para assumir a PM é o do atual secretário-chefe da Casa Militar, coronel Benedito Roberto Meira. O coronel Meira é homem próximo do presidente estadual do PSDB, Pedro Tobias – ambos fizeram carreira na cidade de Bauru, no interior paulista.

Meira era capitão quando prendeu pessoalmente, em 1999, o então prefeito de Bauru Antônio Izzo Filho, acusado de corrupção – Tobias era então vereador na mesma cidade.

Aos colegas, sempre defendeu que a Polícia Militar priorize as apreensões de armas de fogo e armas brancas, além da captura de foragidos e prisões em flagrante. Seu nome – muito citado no Palácio dos Bandeirantes – seria uma aposta para pacificar os coronéis.

A desmotivação dos coronéis seria uma das razões por trás do descontrole da tropa e do aumento da criminalidade.

Além de Meira, outros nomes são examinados, inclusive entre os mais jovens na lista dos 61 coronéis da PM.
.

marco polo 23/11/2012 às 10:33 | #34 Citaçãostituição. Sé fiz a sintese, Segue a materia.
mike , novembro 24, 2012
...
0
não foi desta vez a publicação?
mike , novembro 25, 2012
Ao Sr. Mike
0
Bom dia...
Sou hiper bem informado, tanto que a matéria acima mencionada: "Matéria do Cabo Wilson Moraes, Presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PMESP" FOI EU que enviei para o blog do Sr.Coronel Ricardo Jacob, quando postei comentário na matéria anterior a esta ou seja: FACÇÃO INFILTRA CRIMINOSOS EM CURSO DE EXPLOSIVOS EM SP.
Observando que fiz meus AGRADECIMENTOS no primeiro comentário desta.
Um abraço.
stive , novembro 26, 2012
...
0
Beleza.
A grandeza da Instituição só não é maior devido os "AMENS" de muitos, junto ao governo que não gosta da PM.Precisamos de instituições como AOPM, ASSPM dentre outras que lutem por melhorias.
mike , novembro 26, 2012
...
0
26/11/2012 às 13:42 | #6 Citação O governo de São Paulo anuncia hoje o coronel Benedito Roberto Meira como comandante-geral da PM e o delegado Luiz Maurício Souza Blazeck como o delegado-geral da Polícia Civil. Na tarde de ontem o governador Geraldo Alckmin (PSDB) foi ao gabinete do novo secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, acertar novas ações da pasta e detalhes do anúncio que ocorre hoje, em meio a uma onda de violência que não dá trégua e a sinais de perda de controle da disciplina na Polícia Militar.

O problema não é apenas o fato de os PMs terem se tornado alvo de ações do Primeiro Comando da Capital (PCC) ou a possível reação de policiais que estariam por trás de ações de extermínio na periferia. O imbróglio envolve também uma ação da Procuradoria do Estado no Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma decisão da Justiça de São Paulo que beneficiava os PMs, mudando a forma de cálculo de seus vencimentos.

A procuradoria obteve no STF uma liminar que fez com que cerca de 70 mil PMs tivessem seus rendimentos cortados em 5% a 20% no último mês. “Houve quem falasse em greve no meu batalhão. Como explicar esse corte de salário para uma tropa que teve policial assassinado pelos criminosos?”, disse um dos coronéis ouvidos pelo Estado.

O governo tem consciência do desafio que enfrenta. Ele tenta explicar aos PMs que a procuradoria era obrigada por lei a recorrer da decisão que dava ganho de causa aos policiais – os vencimentos com o valor recalculado eram pagos desde 2011. A ação no STF feita pelo procurador-geral do Estado, Elival dos Santos Ramos, é anterior ao início da matança de policiais em junho.

A Associação de Cabos e Soldados da PM, a maior e mais importante entidade de classe da corporação, refutou os apelos de greve feitos por policiais. “Devemos mostrar que nossos princípios estão muito acima de nossos líderes”, afirmou em nota o presidente da associação, cabo Wilson de Morais. Seu documento termina com uma advertência: “A insensibilidade dos fortes provocará a revolta dos fracos”.

O governo alega que não podia pagar agora o que mandava a Justiça paulista sem que houvesse uma decisão definitiva. Isso colocaria em risco o Erário. O novo secretário da Segurança está ciente do problema e decidiu ontem que vai conversar com as entidades de classe da PM a fim de tentar encontrar uma saída.

Apoio. Grella conta ainda com o novo comandante-geral para pacificar os coronéis – muitos dos quais estavam em colisão com o ex-comandante Roberval França. Meira hoje é o secretário-chefe da Casa Militar. Fez carreira em Bauru e tem perfil conciliador. Ele terá ainda que esclarecer as mortes de policiais, conter os homicídios e recuperar estruturas da PM afetadas nos últimos três comandos, como a 2.ª Seção da PM (Informações).

mike , novembro 26, 2012
Greve não????
0
De fato o estado de greve ou incitação não faz bem a ninguem.
Mas as associações deveriam se unir e mostrar o efetivo da PM e seus familiares, fora a campnha que faremos contra o governo.É muito voto.
Dificil é engolir que o governo não investiu o que disse, a corrupção em todos os escalões de governo (todos) e niguem vai para a cadeia.
Politicos e suas umunidades, é o paraíso dos afortunados do poder.
Precisamos dar um basta.Chega de corruptos, omissos , e demais ....
A lei é feita sómente para os mortais.

Governo desse naipe nunca mais.
mike , dezembro 01, 2012
...
0
Proverbio!!
Tinha um REI que de tanto pensar na sua autoridade esquecer de cuidar das boas coisas.
Parece Sr Stive que o anterior não agradou.Se não estou enganado o certo, seria o Cel mais antigo, ou não.????
Estamos cada dia em situação que foge da hierarquia.
E os direitos dos mais antigos, onde foram parar?
mike , dezembro 01, 2012
...
0
O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella, e o Comandante Geral da Polícia Militar, Cel PM Benedito Roberto Meira, receberam os dirigentes da Associação dos Cabos e Soldados e da Associação dos Oficiais da Reserva da Polícia Militar, para discutir os rumos da suspensão de Tutela Antecipada nº 678, referente aos recálculos do Quinquênio e da Sexta-Parte. O Presidente da Associação dos Cabos e Soldados, Wilson Morais, se fez presente junto com o Diretor Jurídico, Marcelo Camargo; e o Diretor Financeiro, Edmilson da Silva.


mike , dezembro 03, 2012
Encontro de bá, blá, blá.....sem nenhum resultado concreto.
0
Boa noite.
De que adianta entrar na justiça para reividicar direito adquirido, se é o governo quem manda e decide !!!
VEJA MATÉRIA ABAIXO DA ACSPM.

A Diretoria da Associação dos cabos e soldados esteve reunida na data de (05/12), no Palácio dos Bandeirantes, sendo representada pelo seu Presidente Cabo Wilson Morais, Diretor jurídico Cabo Marcelo Aparecido Camargo e Diretor de finanças Edmilson Aparecido da Silva; juntamente com os representantes da AORPM Cel. Jorge Gonçalves e o Diretor jurídico Dr. Marco Aurélio; com os Secretários de Estado, Sidney Beraldo, da Casa Civil; Júlio Semeghini, do Planejamento; Dr. Fernando Grella, da Segurança Publica; Davi Zaia, da Gestão Publica; e uma Procuradora do Estado.
A reunião começou com uma breve explanação do Dr. Sidney Beraldo, onde informou que o Governador estava sensível no sentido de que as Entidades e o Governo do Estado chegassem a um acordo de forma a atender todos aqueles que se sentiram prejudicados, mas, antes quis informar aos dirigentes que o governo trabalha com um orçamento e que, este orçamento foi comprometido devido aos grandes valores de atrasados que tiveram que ser pagos por Ordem Judicial, considerando que as folhas de pagamentos da Policia Militar tiveram uma alta inesperada.
Ante ao exposto, Presidente Cabo Wilson dizer que a nossa ação (Quinquênio e Sexta-Parte), apesar de estar sendo executada como sentença provisória e que a procuradoria mesmo diante de todos os esforços e tentativas de recursos, não consegui dentro do Tribunal de Justiça de São Paulo obter êxito em nenhum dos seus recursos quando recorreram ao Supremo Tribunal Federal, não fizeram constar as verdadeiras motivações do que estava ocorrendo no processo assim, omitindo do STF que os valores apresentados em torno de 1,5 bilhão seriam resultados de 02 anos de pagamentos por parte do Estado e que ainda restavam 28 meses a serem pagos.
Entretanto, diante de tudo que foi dito na reunião e, de uma forma resumida, foi perguntado pelo secretario Julio Semeghini “Qual seria a proposta das associações”, quando o Presidente Cabo Wilson declarou: “O nosso policial esta endividado, porque, o dinheiro resultado da Ação judicial já fazia parte do seu orçamento e foi retirado do seu holerite no momento em que ele mais precisava, dado a aproximação de final de ano e pelas dividas já assumidas”.
Presidente Cabo Wilson foi enfático em sua proposta para que a INCORPORAÇÃO NO HOLERITE seja restabelecida IMEDIATAMENTE E OS ATRASADOS REFERENTES AOS 28 MESES NÃO SEJAM PAGOS POR PRECATÓRIO E, SIM, PARCELADOS DENTRO DO EXERCICIO DE 2013, tendo em vista que o pagamento já está previsto para o próximo dia 07 e que atrelado a isso, tem também o 13º salário que, se não forem restabelecidos aos valores da Ação judicial, esse também sofrerá um desgaste irreparável. E disse mais ainda que se o Governador quiser resgatar a credibilidade que ele tinha perante a corporação, que seja feita a verdadeira Justiça, antes que o próprio Poder Judiciário o faça, porque daí será tarde demais para o Governo mudar o perfil que se tem do Governador Geraldo Alckmin nesse prezado momento.
Por fim, o Secretario de Segurança Publica, Dr. Fernando Grella, informou que o Governo quer por fim a esse impasse e com certeza trará um acordo Justo e digno aos nossos policiais militares, pedindo que aguardássemos que dentro em breve, estariam dando uma resposta à nossa proposta.
Finalizando, informamos a todos os associados (as), que realmente existe uma sensibilidade por parte do Governo do Estado de São Paulo, no intuito de atender a justa reivindicação da nossa Entidade de Classe, para que de imediato possamos resgatar a dignidade da nossa Família Policial Militar.

“A insensibilidade dos fortes provocará a revolta dos fracos”


CABO WILSON MORAIS
PRESIDENTE






Stive , dezembro 10, 2012

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

reflexoes_de_dom_fernando2

programa_mulheres2

Assista o Programa do Cel Ricardo Jacob "Em Defesa da População" toda Sexta-feira na D+TV das 9h as 10hs

O programa "Coronel Ricardo em Defesa da População" é sempre reprisado as Segundas-Feiras às 8 horas e as Quartas-Feiras às 13 horas na D+TV.

Clique Aqui para assistir a D+TV 

dmais_blog

Redes Sociais

facebook orkut twitter
AddThis Social Bookmark Button

Frase do Momento

“De tostão por tostão se chega-se ao milhão.”